Transparência    Ouvidoria    Acesso à Informação    Diário Oficial    Portal do Governo de Brasília  
   
BALANÇO DAS PRIORIDADES DO GOVERNO DE BRASÍLIA
 
 
 
 
 
 
INICIAL    DESTAQUES    TEMÁTICAS    PRIORIDADES    INICIATIVAS    POR ÓRGÃO   MAPA ESTRATÉGICO
Programa: Políticas para Segmentos Sociais
 
Prioridade: Planos de Prevenção à violência com ações de programas sociais adequados às áreas de risco (segmentos, jovens, mulheres, esportes, cultura e lazer)
INICIATIVA STATUS ARQUIVOS
CONTATO
Mantido o projeto prevenção à violência Esporte à Meia Noite, executado em parceria pelas Secretarias de Segurança Pública; de Educação; de Políticas para Crianças, Adolescentes e Juventude; de Esporte, Turismo e Lazer. A partir de agosto/2016, passaram a ser atendidos jovens que cumprem medidas socioeducativas nas Unidades de Meio Aberto - UAMA e Unidades de Atendimento em Semiliberdade - UAS, com atividades semanais, no período vespertino. Entre 2015 e 2017 houve 31.536 atendimentos. Concluído SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANCA PUBLICA E DA PAZ SOCIAL

GILVAN SOARES MASCARENHAS

ouvidoria@ssp.df.gov.br
Criado, em 2016, o Centro de Políticas Públicas da PMDF, por meio do Decreto nº 37.321/2016 (link aqui), com a missão de: planejar, coordenar, orientar e controlar as atividades relativas ao trato de políticas públicas no âmbito da corporação; assessorar o Comando Geral no desenvolvimento de programas sociais preventivos de segurança pública e na implementação e consolidação das políticas relacionadas, dentre outras, à igualdade racial e de gênero, à Agenda Ambiental e à filosofia de polícia comunitária e de direitos humanos.

O Centro coordena 58 projetos desenvolvidos em 21 unidades. Foram atendidas, em 2017, 151.368 pessoas. Entre os projetos se destacam:
  • Proerd, que atendeu 15.172 alunos de 119 escolas
  • Provid, que atendeu 1.038 famílias
  • Programa ambiental Lobo Guará, que atendeu 30.782 crianças em escolas públicas e particulares, em 15 eventos sociais e em 140 apresentações teatrais
  • Formação de Guardiães Ambientais, com 2.113 alunos formados
  • Teatro Rodovia, que realizou cerca de 1.200 apresentações, em seus 25 anos, sendo atendidas 16.317 crianças em 2017
  • Musicalização, com 115 pessoas atendidas
  • Equino terapia, com mais de 4.000 consultas técnicas realizadas
  • Escola de equitação, com 160 pessoas atendidas
Concluído POLICIA MILITAR DO DISTRITO FEDERAL

MAJ QOPM MARCELO MACIEL DA SILVA

ouvidoriapmdf@gmail.com
Lançado pela Delegacia da Criança e do Adolescente II (Taguatinga Norte), em junho/2016, o projeto DCA2 nas Escolas. De caráter preventivo e educativo, o projeto consiste na apresentação e discussão de temas relacionados à prevenção ao uso de drogas, violência, bullying, entre outros, por meio da promoção de encontros em diversas escolas públicas e particulares de todo o DF. Concluído Lançado pela Delegacia da Criança e do Adolescente II (Taguatinga Norte), em junho/2016, o projeto DCA2 nas Escolas. De caráter preventivo e educativo, o projeto consiste na apresentação e discussão de temas relacionados à prevenção ao uso de drogas, violência, bullying, entre outros, por meio da promoção de encontros em diversas escolas públicas e particulares de todo o DF. POLICIA CIVIL DO DISTRITO FEDERAL

Lúcia Antônia M. Bandeira

ouvidoria@pcdf.df.gov.br
Promovido, por meio da Academia de Polícia Civil - APC, circuito de palestras educacionais, com abordagem de temas relacionados com a prevenção de crimes, especialmente em relação às drogas. Concluído POLICIA CIVIL DO DISTRITO FEDERAL

Lúcia Antônia M. Bandeira

ouvidoria@pcdf.df.gov.br
Lançada pela Delegacia Especial de Atendimento à Mulher - DEAM, em 2017, a campanha Quem disse que não dá em nada? Dá sim!. De caráter preventivo e educativo, a campanha objetiva informar e combater a prática delituosa de importunar alguém em lugar público, de modo ofensivo, como executar movimentos obscenos em locais de acesso ao público (ônibus e metrôs). A ação integra o protocolo de cooperação para combater importunação de mulheres em vagões de metrô, assinado em 23/05/2017 entre a PCDF, Sedestmidh e Metrô. Concluído POLICIA CIVIL DO DISTRITO FEDERAL

Lúcia Antônia M. Bandeira

ouvidoria@pcdf.df.gov.br
Mantido o Projeto Bombeiro Mirim, programa que oferece atividades educativas, esportivas, culturais e recreativas e inclui atividades de Bombeiro Militar, como primeiro socorros, salvamento e prevenção de acidentes domésticos, e incêndios para crianças e adolescentes que estudam na rede pública, com idade entre 7 e 14 anos. Atendimento, por evento, de aproximadamente 1.500 crianças. Concluído Mantido o Projeto Bombeiro Mirim, programa que oferece atividades educativas, esportivas, culturais e recreativas e inclui atividades de Bombeiro Militar, como primeiro socorros, salvamento e prevenção de acidentes domésticos, e incêndios para crianças e adolescentes que estudam na rede pública, com idade entre 7 e 14 anos. Atendimento, por evento, de aproximadamente 1.500 crianças. Mantido o Projeto Bombeiro Mirim, programa que oferece atividades educativas, esportivas, culturais e recreativas e inclui atividades de Bombeiro Militar, como primeiro socorros, salvamento e prevenção de acidentes domésticos, e incêndios para crianças e adolescentes que estudam na rede pública, com idade entre 7 e 14 anos. Atendimento, por evento, de aproximadamente 1.500 crianças. Mantido o Projeto Bombeiro Mirim, programa que oferece atividades educativas, esportivas, culturais e recreativas e inclui atividades de Bombeiro Militar, como primeiro socorros, salvamento e prevenção de acidentes domésticos, e incêndios para crianças e adolescentes que estudam na rede pública, com idade entre 7 e 14 anos. Atendimento, por evento, de aproximadamente 1.500 crianças. CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO DISTRITO FEDERAL

Ten-Cel. QOBM/Comb. PAULO CÉSAR DA SILVA JÚNIOR

ouvidoria.secretaria@cbm.df.gov.br;
Assinado Termo de Cooperação entre PCDF/TJDFT/UnB, em novembro/2017, para atendimento jurídico e psicológico às mulheres na Delegacia Especial de Atendimento à Mulher - DEAM. Estão sendo realizadas tratativas para a padronização do atendimento. Em andamento POLICIA CIVIL DO DISTRITO FEDERAL

Lúcia Antônia M. Bandeira

ouvidoria@pcdf.df.gov.br
Implantada, em 06/04/2016, a Delegacia Especial de Repressão aos Crimes por Discriminação Racial, Religiosa ou por Orientação Sexual ou contra a Pessoa Idosa ou com Deficiência - Decrin. Localizada no Complexo da Polícia Civil, funciona em dias úteis das 12h às 19h. Promove ciclos de palestras sobre vulnerabilidades, com foco em pessoa idosa, em orientação sexual e identidade de gênero, dentre outros segmentos. (Decreto nº 37.069/2016 - link aqui) Concluído Implantada, em 06/04/2016, a Delegacia Especial de Repressão aos Crimes por Discriminação Racial, Religiosa ou por Orientação Sexual ou contra a Pessoa Idosa ou com Deficiência - Decrin. Localizada no Complexo da Polícia Civil, funciona em dias úteis das 12h às 19h. Promove ciclos de palestras sobre vulnerabilidades, com foco em pessoa idosa, em orientação sexual e identidade de gênero, dentre outros segmentos. (Decreto nº 37.069/2016 - <a href="http://www.sinj.df.gov.br/sinj/Norma/3a354d6003df4b5a9796728b97b6978c/Decreto_37069_21_01_2016.html">link aqui</a>) Implantada, em 06/04/2016, a Delegacia Especial de Repressão aos Crimes por Discriminação Racial, Religiosa ou por Orientação Sexual ou contra a Pessoa Idosa ou com Deficiência - Decrin. Localizada no Complexo da Polícia Civil, funciona em dias úteis das 12h às 19h. Promove ciclos de palestras sobre vulnerabilidades, com foco em pessoa idosa, em orientação sexual e identidade de gênero, dentre outros segmentos. (Decreto nº 37.069/2016 - <a href="http://www.sinj.df.gov.br/sinj/Norma/3a354d6003df4b5a9796728b97b6978c/Decreto_37069_21_01_2016.html">link aqui</a>) Implantada, em 06/04/2016, a Delegacia Especial de Repressão aos Crimes por Discriminação Racial, Religiosa ou por Orientação Sexual ou contra a Pessoa Idosa ou com Deficiência - Decrin. Localizada no Complexo da Polícia Civil, funciona em dias úteis das 12h às 19h. Promove ciclos de palestras sobre vulnerabilidades, com foco em pessoa idosa, em orientação sexual e identidade de gênero, dentre outros segmentos. (Decreto nº 37.069/2016 - <a href="http://www.sinj.df.gov.br/sinj/Norma/3a354d6003df4b5a9796728b97b6978c/Decreto_37069_21_01_2016.html">link aqui</a>) POLICIA CIVIL DO DISTRITO FEDERAL

Lúcia Antônia M. Bandeira

ouvidoria@pcdf.df.gov.br
Lançado, em 26/10/2017, o projeto Construindo o Amanhã, que consiste na realização de visitas programadas de policiais das Delegacias da Criança e do Adolescente I e II (DCA I - Asa Norte e DCA II - Taguatinga Norte) em unidades de ensino, informando sobre as atividades das delegacias, sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente - ECA, entre outras questões. O projeto tem o objetivo de garantir os direitos das crianças e dos adolescentes e colaborar na redução dos índices de cometimento e de reiteração de atos infracionais. O programa tem como público-alvo alunos, pais, professores, diretores e demais servidores de escolas públicas do DF. Concluído POLICIA CIVIL DO DISTRITO FEDERAL

Lúcia Antônia M. Bandeira

ouvidoria@pcdf.df.gov.br
Criado no dia 18/03/2016, o Grupo de Trabalho Permanente de Combate ao Feminicídio, que teve o objetivo de fazer frente ao número de feminicídios no Distrito Federal.

O objetivo era promover ações e debates de forma coletiva e com apoio de representantes do Executivo, Legislativo, Judiciário e da sociedade civil e discutir alternativas a fim de solucionar o problema.

Como primeira atividade, o grupo realizou, em 28/06/2016, no Auditório da Faculdade de Saúde da Universidade de Brasília - UnB, para 146 pessoas, o Seminário Lei do Feminicídio: Processo Histórico, Aplicação e Desafios, que teve o objetivo de enriquecer o debate e divulgar a Lei do Feminicídio - Lei nº 13.104/2015 (link aqui).
Concluído Criado no dia 18/03/2016, o Grupo de Trabalho Permanente de Combate ao Feminicídio, que teve o objetivo de fazer frente ao número de feminicídios no Distrito Federal.
</p>
O objetivo era promover ações e debates de forma coletiva e com apoio de representantes do Executivo, Legislativo, Judiciário e da sociedade civil e discutir alternativas a fim de solucionar o problema.
</p> 
Como primeira atividade, o grupo realizou, em 28/06/2016, no Auditório da Faculdade de Saúde da Universidade de Brasília - UnB, para 146 pessoas, o Seminário Lei do Feminicídio: Processo Histórico, Aplicação e Desafios, que teve o objetivo de enriquecer o debate e divulgar a Lei do Feminicídio - Lei nº 13.104/2015 (<a href="http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/L13104.htm">link aqui</a>). Criado no dia 18/03/2016, o Grupo de Trabalho Permanente de Combate ao Feminicídio, que teve o objetivo de fazer frente ao número de feminicídios no Distrito Federal.
</p>
O objetivo era promover ações e debates de forma coletiva e com apoio de representantes do Executivo, Legislativo, Judiciário e da sociedade civil e discutir alternativas a fim de solucionar o problema.
</p> 
Como primeira atividade, o grupo realizou, em 28/06/2016, no Auditório da Faculdade de Saúde da Universidade de Brasília - UnB, para 146 pessoas, o Seminário Lei do Feminicídio: Processo Histórico, Aplicação e Desafios, que teve o objetivo de enriquecer o debate e divulgar a Lei do Feminicídio - Lei nº 13.104/2015 (<a href="http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/L13104.htm">link aqui</a>). SECRETARIA DE ESTADO DE TRABALHO, DESENVOLVIMENTO SOCIAL, MULHERES, IGUALDADE RACIAL E DIREITOS HUMANOS

FLÁVIA RODRIGUES GUIMARÃES

ouvidoria@sedestmidh.df.gov.br
Criados, em 2016, três núcleos de gênero e raça nas administrações regionais de Ceilândia, Itapoã e Varjão: o Projeto Ubuntu.

O objetivo do projeto é incrementar a prestação de serviços e ações de combate às discriminações raciais e de gênero, assim como promover a valorização desses segmentos por meio da realização de ciclos de formação educacional e cultural nas comunidades. Cada núcleo é um ponto focal para a comunidade no que se refere às questões de equidade de gênero e raça, bem como em situações de racismo, discriminações raciais e de gênero, dando suporte à população para os encaminhamentos cabíveis dentro dos pressupostos legais.
Concluído SECRETARIA DE ESTADO DE TRABALHO, DESENVOLVIMENTO SOCIAL, MULHERES, IGUALDADE RACIAL E DIREITOS HUMANOS

FLÁVIA RODRIGUES GUIMARÃES

ouvidoria@sedestmidh.df.gov.br
Realizado o projeto Asas, na Penitenciária Feminina do Distrito Federal - 14 edições em 2015/2016, que atendeu cerca de 300 mulheres. O projeto ofertou, a cada mês, uma programação diversificada, que buscou despertar os talentos das mulheres lá presentes. Sarau musicado, cineclube, workshop de dança de salão, teatro para mães e bebês, batalha de poesia, workshop de dança de rua, contação de histórias e exposição de fotografias ofereceram variados estímulos à criatividade das internas. Concluído Realizado o projeto Asas, na Penitenciária Feminina do Distrito Federal - 14 edições em 2015/2016, que atendeu cerca de 300 mulheres. O projeto ofertou, a cada mês, uma programação diversificada, que buscou despertar os talentos das mulheres lá presentes. Sarau musicado, cineclube, workshop de dança de salão, teatro para mães e bebês, batalha de poesia, workshop de dança de rua, contação de histórias e exposição de fotografias ofereceram variados estímulos à criatividade das internas. Realizado o projeto Asas, na Penitenciária Feminina do Distrito Federal - 14 edições em 2015/2016, que atendeu cerca de 300 mulheres. O projeto ofertou, a cada mês, uma programação diversificada, que buscou despertar os talentos das mulheres lá presentes. Sarau musicado, cineclube, workshop de dança de salão, teatro para mães e bebês, batalha de poesia, workshop de dança de rua, contação de histórias e exposição de fotografias ofereceram variados estímulos à criatividade das internas. SECRETARIA DE ESTADO DE CULTURA DO DISTRITO FEDERAL

JULIANA CRISTINA OTONI BORGES

ouvidoria@cultura.df.gov.br
Implantado o projeto Por Dentro da Lei Maria da Penha, que busca a promoção e o aprofundamento de debates sobre violência doméstica e familiar, difundindo as informações sobre a lei às mulheres carentes. Foram realizadas 10 palestras em 2016, 04 em 2017 e 15 no 1º semestre/2018.

Em 2016 foram ministradas palestras na Casa do Idoso do Varjão, no Salão Norte Comunitário do Itapoã, nas Administrações Regionais do Paranoá, São Sebastião, Fercal, Planaltina, Sobradinho I e II, Candagolândia e Recanto das Emas.

Em 2017 foram feitas duas visitas à Residência Oficial de Águas Claras e ministradas palestras para as mulheres do Varjão, da Estrutural, de Ceilândia, na Associação de Idosos e no Gama, no Auditório da Faculdade Faciplac.

Em 2018 foram ministradas seis palestras de capacitação aos servidores no Metrô, quatro palestras na Vanerven Solutions para atendentes do Disque 156 e uma palestra na ENAP - Escola Nacional de Administração Pública, no Templo Budista, na UNB, no SEST SENAT e no Centro Olímpico de Samambaia. Ao todo foram 1.122 participantes.
Concluído SECRETARIA DE ESTADO DE TRABALHO, DESENVOLVIMENTO SOCIAL, MULHERES, IGUALDADE RACIAL E DIREITOS HUMANOS

FLÁVIA RODRIGUES GUIMARÃES

ouvidoria@sedestmidh.df.gov.br
Celebrado o Termo de Fomento nº 001/2017 com a entidade Central Organizada de Matriz Africana, para realização do IV Encontro de Mulheres de Terreiro do Centro-Oeste, que teve por objetivo abordar o combate ao alto índice de violência contra as mulheres considerando o recorte étnico, por meio da crença em religiões de matriz africanas. O encontro foi realizado em Sobradinho II, na AR 6, Área Especial nº 2, Lote 1, nos dias 16 e 17/12/2017. Concluído SECRETARIA DE ESTADO DE TRABALHO, DESENVOLVIMENTO SOCIAL, MULHERES, IGUALDADE RACIAL E DIREITOS HUMANOS

FLÁVIA RODRIGUES GUIMARÃES

ouvidoria@sedestmidh.df.gov.br
Realizada no dia 08/12/2017, ao lado da administração do Parque da Cidade de Brasília, a Feira das Mulheres do Campo e do Cerrado, que tem o objetivo de promover a autonomia e a independência econômica e financeira das mulheres produtoras rurais, ciganas, indígenas afrodescendentes e quilombolas, por meio da oferta de local estratégico para comercialização de seus produtos.

Em fevereiro/2018 o Projeto Mulheres do Cerrado ganhou um espaço na Feira de Artesanatos da Torre de TV - Box 96 "C". A utilização do box é reservada aos produtos e serviços a serem comercializados, preferencialmente, com atributos culturais e naturais referentes a identidade de Brasília e do Cerrado, preservando a etnia e os costumes das comunidades tradicionais.
Concluído Realizada no dia 08/12/2017, ao lado da administração do Parque da Cidade de Brasília, a Feira das Mulheres do Campo e do Cerrado, que tem o objetivo de promover a autonomia e a independência econômica e financeira das mulheres produtoras rurais, ciganas, indígenas afrodescendentes e quilombolas, por meio da oferta de local estratégico para comercialização de seus produtos.
</p>
Em fevereiro/2018 o Projeto Mulheres do Cerrado ganhou um espaço na Feira de Artesanatos da Torre de TV - Box 96 "C". A utilização do box é reservada aos produtos e serviços a serem comercializados, preferencialmente, com atributos culturais e naturais referentes a identidade de Brasília e do Cerrado, preservando a etnia e os costumes das comunidades tradicionais. Realizada no dia 08/12/2017, ao lado da administração do Parque da Cidade de Brasília, a Feira das Mulheres do Campo e do Cerrado, que tem o objetivo de promover a autonomia e a independência econômica e financeira das mulheres produtoras rurais, ciganas, indígenas afrodescendentes e quilombolas, por meio da oferta de local estratégico para comercialização de seus produtos.
</p>
Em fevereiro/2018 o Projeto Mulheres do Cerrado ganhou um espaço na Feira de Artesanatos da Torre de TV - Box 96 "C". A utilização do box é reservada aos produtos e serviços a serem comercializados, preferencialmente, com atributos culturais e naturais referentes a identidade de Brasília e do Cerrado, preservando a etnia e os costumes das comunidades tradicionais. SECRETARIA DE ESTADO DE TRABALHO, DESENVOLVIMENTO SOCIAL, MULHERES, IGUALDADE RACIAL E DIREITOS HUMANOS

FLÁVIA RODRIGUES GUIMARÃES

ouvidoria@sedestmidh.df.gov.br
Projeto Pró-vítima nas Escolas: realizadas cinco palestras de conscientização e orientação para pais e equipe educacional, com o objetivo de elevar a autoestima das crianças.

As palestras foram realizadas em escolas de Taguatinga e Ceilândia (2016 e 2017) e em Planaltina (2018):

  • Em 2016: realizadas duas palestras, totalizando 535 participantes
  • Em 2017: realizadas duas palestras, totalizando 861 participantes
  • Em 2018: realizada palestra sobre a temática Prevenção ao Suicídio, totalizando cerca de 1.000 participantes (incluindo alunos)
Concluído Projeto Pró-vítima nas Escolas: realizadas cinco palestras de conscientização e orientação para pais e equipe educacional, com o objetivo de elevar a autoestima das crianças.
<p>As palestras foram realizadas em escolas de Taguatinga e Ceilândia (2016 e 2017) e em Planaltina (2018):
<ul>
    <li>Em 2016: realizadas duas palestras, totalizando 535 participantes</li>
</ul><ul>
    <li>Em 2017: realizadas duas palestras, totalizando 861 participantes</li>
</ul><ul>
    <li>Em 2018: realizada palestra sobre a temática Prevenção ao Suicídio, totalizando cerca de 1.000 participantes (incluindo alunos)</li></ul> Projeto Pró-vítima nas Escolas: realizadas cinco palestras de conscientização e orientação para pais e equipe educacional, com o objetivo de elevar a autoestima das crianças.
<p>As palestras foram realizadas em escolas de Taguatinga e Ceilândia (2016 e 2017) e em Planaltina (2018):
<ul>
    <li>Em 2016: realizadas duas palestras, totalizando 535 participantes</li>
</ul><ul>
    <li>Em 2017: realizadas duas palestras, totalizando 861 participantes</li>
</ul><ul>
    <li>Em 2018: realizada palestra sobre a temática Prevenção ao Suicídio, totalizando cerca de 1.000 participantes (incluindo alunos)</li></ul> SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTICA E CIDADANIA

ISRAEL CARRARA DE PINNA

ouvidoria@sejus.df.gov.br
Firmados termos de cooperação relacionados ao projeto Pró-vítima:

  • TJDFT - termo assinado para a execução da Justiça Restaurativa, cujo processo colaborativo é voltado para resolução de um conflito caracterizado como crime, que envolve a participação maior do infrator e da vítima. Tem como principal objetivo a reparação dos danos oriundos do delito causado às partes envolvidas - vítima, ofensor e comunidade - e, quando possível, a reconstrução das relações rompidas.
  • Instituto SABIN - termo assinado para instalação de ludotecas nos postos do Pró-vítima da Ceilândia (EQNN 5/7, Área Especial) e do Paranoá (Quadra 5, Parque de Obras).
  • Concluído Firmados termos de cooperação relacionados ao projeto Pró-vítima:
</p>
<li>TJDFT - termo assinado para a execução da Justiça Restaurativa, cujo processo colaborativo é voltado para resolução de um conflito caracterizado como crime, que envolve a participação maior do infrator e da vítima. Tem como principal objetivo a reparação dos danos oriundos do delito causado às partes envolvidas - vítima, ofensor e comunidade - e, quando possível, a reconstrução das relações rompidas.</li>
</p>
<li>Instituto SABIN - termo assinado para instalação de ludotecas nos postos do Pró-vítima da Ceilândia (EQNN 5/7, Área Especial) e do Paranoá (Quadra 5, Parque de Obras).

Firmados termos de cooperação relacionados ao projeto Pró-vítima:
</p>
<li>TJDFT - termo assinado para a execução da Justiça Restaurativa, cujo processo colaborativo é voltado para resolução de um conflito caracterizado como crime, que envolve a participação maior do infrator e da vítima. Tem como principal objetivo a reparação dos danos oriundos do delito causado às partes envolvidas - vítima, ofensor e comunidade - e, quando possível, a reconstrução das relações rompidas.</li>
</p>
<li>Instituto SABIN - termo assinado para instalação de ludotecas nos postos do Pró-vítima da Ceilândia (EQNN 5/7, Área Especial) e do Paranoá (Quadra 5, Parque de Obras).

SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTICA E CIDADANIA

    ISRAEL CARRARA DE PINNA

    ouvidoria@sejus.df.gov.br
    Realizado, em dia 24/11/2016, no Instituto Federal de Brasília - IFB, Campus Estrutural, o Seminário Luiza Bairros: feminicídio e a questão racial.

    O seminário teve o objetivo de consolidar o diálogo com a sociedade civil, por meio de um espaço de troca e amadurecimento de ideias para construção de políticas públicas de prevenção e enfrentamento à violência contra as mulheres e ao racismo.

    Dados da Organização Mundial da Saúde apontam as mulheres negras como principal alvo de feminicídio no Brasil.

    A ação compôs o calendário da campanha mundial 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência Contra as Mulheres e contou com a participação de 99 pessoas.
    Concluído Realizado, em dia 24/11/2016, no Instituto Federal de Brasília - IFB, Campus Estrutural,  o Seminário Luiza Bairros: feminicídio e a questão racial.
</p> 
O seminário teve o objetivo de consolidar o diálogo com a sociedade civil, por meio de um espaço de troca e amadurecimento de ideias para construção de políticas públicas de prevenção e enfrentamento à violência contra as mulheres e ao racismo.
</p> 
Dados da Organização Mundial da Saúde apontam as mulheres negras como principal alvo de feminicídio no Brasil.
</p> 
A ação compôs o calendário da campanha mundial 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência Contra as Mulheres e contou com a participação de 99 pessoas. SECRETARIA DE ESTADO DE TRABALHO, DESENVOLVIMENTO SOCIAL, MULHERES, IGUALDADE RACIAL E DIREITOS HUMANOS

    FLÁVIA RODRIGUES GUIMARÃES

    ouvidoria@sedestmidh.df.gov.br
    Publicada, em 08/03/2016, a cartilha Vamos Conversar? para enfrentamento da violência doméstica e familiar contra as Mulheres.

    A publicação é resultado de um trabalho coletivo para a divulgação de informações sobre o fenômeno da violência doméstica e familiar contra as mulheres, a Lei Maria da Penha e está voltada à garantia de direitos das mulheres.

    A cartilha foi resultado de parceria entre a ONU Mulheres, a Secretaria Adjunta de Políticas para as Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos do Distrito Federal, o Ministério Público e o Tribunal de Justiça do Distrito Federal.
    Concluído SECRETARIA DE ESTADO DE TRABALHO, DESENVOLVIMENTO SOCIAL, MULHERES, IGUALDADE RACIAL E DIREITOS HUMANOS

    FLÁVIA RODRIGUES GUIMARÃES

    ouvidoria@sedestmidh.df.gov.br
    Capacitados 80 servidores dos Centros Olímpicos de Samambaia e Riacho Fundo I, na temática da excelência ao atendimento ao idoso. Concluído SECRETARIA DE ESTADO DE TRABALHO, DESENVOLVIMENTO SOCIAL, MULHERES, IGUALDADE RACIAL E DIREITOS HUMANOS

    FLÁVIA RODRIGUES GUIMARÃES

    ouvidoria@sedestmidh.df.gov.br
    Capacitados 60 motoristas de ônibus em excelência no atendimento à pessoa idosa, em articulação com o Transporte Urbano do Distrito Federal - DFTrans. Concluído SECRETARIA DE ESTADO DE TRABALHO, DESENVOLVIMENTO SOCIAL, MULHERES, IGUALDADE RACIAL E DIREITOS HUMANOS

    FLÁVIA RODRIGUES GUIMARÃES

    ouvidoria@sedestmidh.df.gov.br
    Realizada em 2017 parceria entre a Secretaria de Justiça e Cidadania e a Secretaria de Educação, no programa Pronatec - Mulheres Mil para beneficiar mulheres atendidas pelo programa Superando a Violência, com cursos de formação.

    Os cursos ofertados foram na área de manicure e pedicure, cuidadora de idosos, garçonete, camareira, balconista de farmácia e assistente de faturamento. O objetivo foi o de facilitar a entrada dessas mulheres no mercado de trabalho.

    Ao todo foram ofertadas 300 vagas e os cursos iniciaram em 04/04/2017 e tiveram duração mínima de 51 dias.

    Concluído Realizada em 2017 parceria entre a Secretaria de Justiça e Cidadania e a Secretaria de Educação, no programa Pronatec - Mulheres Mil para beneficiar mulheres atendidas pelo programa Superando a Violência, com cursos de formação.
<p>
Os cursos ofertados foram na área de manicure e pedicure, cuidadora de idosos, garçonete, camareira, balconista de farmácia e assistente de faturamento. O objetivo foi o de facilitar a entrada dessas mulheres no mercado de trabalho.
<p> 
Ao todo foram ofertadas 300 vagas e os cursos iniciaram em 04/04/2017 e tiveram duração mínima de 51 dias. Realizada em 2017 parceria entre a Secretaria de Justiça e Cidadania e a Secretaria de Educação, no programa Pronatec - Mulheres Mil para beneficiar mulheres atendidas pelo programa Superando a Violência, com cursos de formação.
<p>
Os cursos ofertados foram na área de manicure e pedicure, cuidadora de idosos, garçonete, camareira, balconista de farmácia e assistente de faturamento. O objetivo foi o de facilitar a entrada dessas mulheres no mercado de trabalho.
<p> 
Ao todo foram ofertadas 300 vagas e os cursos iniciaram em 04/04/2017 e tiveram duração mínima de 51 dias. SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTICA E CIDADANIA

    ISRAEL CARRARA DE PINNA

    ouvidoria@sejus.df.gov.br
     
    
     
     
     
    SOBRE BRASÍLIA TRANSPARÊNCIA TURISMO
    SOBRE O GOVERNO OUVIDORIA CARTA DE SERVIÇOS
    CIDADÃO ACESSO À INFORMAÇÃO DÚVIDAS FREQUENTES
    NEGÓCIOS COMUNICAR ERROS FALE COM O GOVERNO
    SERVIDOR ACESSIBILIDADE  
    GOVERNO DE BRASÍLIA

    Todos os direitos Reservados ©
    Palácio do Buriti, Praça do Buriti Brasília - DF
    CEP 70075-900.
         
     
    POTAL DE BALANÇO DAS PRIORIDADES DO GOVERNO DE BRASÍLIA
    VERSÃO 1.0